sábado, 22 de outubro de 2016

O Fim dos Segredos - Catarina Guerreiro

Tudo aquilo que se encontra envolto em secretismo desperta a nossa curiosidade. É a natureza humana. Como diz a sabedoria popular, “ o fruto proibido é sempre o mais apetecido”. Eu, claro, não sou diferente. Sempre tive imensa curiosidade em saber mais sobre a Maçonaria e o Opus Dei. Assim, quando vi a nota de lançamento desta obra de Catarina Guerreiro, logo decidi que era um livro a não perder. 

Como foi a minha primeira incursão nesta temática, muito do que li traduziu-se em novidade. Apesar de não ser um romance, o tema deu-me sempre vontade de ler mais e não foi, de todo, tempo perdido.
São doze os capítulos sobre diferentes temáticas. Em cada um deles, a autora fala sobre o Opus Dei e estabelece o paralelismo com a Maçonaria. Penso que a organização dos temas não é a melhor. Penso ainda que, em muitos casos, é assumido que o leitor já tem muito conhecimento sobre estas organizações. Por vezes, a existência de alguns esquemas poderia ajudar um pouco. Ainda assim, considero este um trabalho bem conseguido.

No Opus Dei há membros que fazem um acordo para a vida. Aderem, em muitos casos, no início da adolescência e comprometem-se a nunca casar nem ter filhos. Existem também membros casados e nesses casos, normalmente as famílias são numerosas, uma vez que a utilização de contracetivos não é permitida. A relação dos membros com a congregação é bastante forte. É normal oferecer a totalidade do ordenado e utilizar chicotes ou correntes de metal com picos, para se penitenciarem.

Se no Opus Dei há uma relação direta com a Igreja, na Maçonaria a relação é mais direta com as máquinas partidárias, podendo também estar, ou não, relacionada com a Igreja. É precisamente nas juventudes partidárias e nos meios académicos que se situam os principais pontos de recrutamento.  Existem várias lojas maçónicas, cada uma seguindo o seu rito. Daí que os rituais possam ser bastante diferentes entre lojas. Cada membro paga uma jóia de entrada e uma quota mensal. No entanto, em algumas lojas é bastante comum circular um saco preto do qual, discretamente, se pode retirar dinheiro.

Como disse, é um mundo oculto que me desperta interesse. Irei com certeza ler mais sobre o tema e sobre outras organizações (ex. templários). Se tiverem sugestões, por favor partilhem!

Págs. 389
Ref. ISBN: 978-989-626-726-1