sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Dama de Espadas - Mário Zambujal

Filipe é um jovem adolescente, morador do bairro da Graça, que um dia se torna amigo de Rodolfo Lucas. Um vizinho com quem, apesar da diferença de idades, cria enorme cumplicidade ao ponto deste o convidar para fazer companhia à sua filha Rosália que, segundo o próprio pai, é um pouco parada para a idade.

No seu estilo muito próprio, Mário Zambujal descreve com muita piada os encontros entre ambos. Gostei em especial da cena do piano que se passa no dia em que conseguem ir para o sótão da casa. Apesar dos bons momentos que Filipe vai passando com Rosália, é com a irmã dela (Eva Teresa), que se diverte verdadeiramente. É com ela que gosta de brincar.

Um dia, a família Lucas vê-se obrigada a viajar para o Brasil  fixar residência em Belo Horizonte. Os anos vão passando e Filipe é agora um repórter do jornal "O Exacto". Nunca esqueceu a menina Eva Teresa que entretanto já é mulher! Foi acompanhando o seu crescimento através de uma tia que continua a viver em Portugal e de tempos a tempos recebe fotografias do Brasil. É atrás desse amor que acaba por ir ao Brasil na esperança de resgatar Eva Teresa para si. Não imaginava que a ia encontrar já casada, provocando assim um regresso mais rápido do que seria de esperar.
Passados alguns anos Eva Teresa regressa a Portugal para o casamento de Rosália que decidiu casar em Portugal. Filipe vai reaproximar-se de novo. O resto fica para o leitor desvendar e acredito que irá surpreender.

Não conheço pessoalmente Mário Zambujal, embora tenha a certeza que seria um prazer conhecê-lo. Mas a boa onda que paira sobre si e a sua boa disposição não enganam. Se dúvidas houver, recomendo a leitura desta Dama de Espadas (Crónica de Loucos Amantes) onde ele mostra como facilmente consegue transpor a sua áurea para a sua escrita. Não sendo um marco da literatura, nem tão pouco sendo esse o seu propósito, é sem dúvida um livro que prende o leitor até ao fim.

Na capa do livro pode encontrar-se uma boa frase sobre esta obra:
"As paixões arrebatadas são como o vinho das melhores castas: primeiro alegram, depois embriagam, um dia azedam."

Págs. 220
Ref. ISBN: 978-989-8452-04-7
Editora: Clube do Autor

5 comentários:

Jacqueline' disse...

Para a disciplina de português, Mário Zambujal foi apontado como uma sugestão de leitura. Na altura não lhe prestei muita atenção, mas após ler a tua opinião, parece que vale a pena tentar :)

Marco Caetano disse...

Jacqueline'

Mário Zambujal é de facto uma boa sugestão de leitura.
Possui uma escrita muito descontraida mas bastante interessante.

Vais concerteza gostar bastante.

Kézia Lôbo disse...

Oo eu amei a capa, ela é linda e o titulo faz a gente querer ler!

Karen disse...

Adorei o blog

Marco Caetano disse...

Kézia,
é de facto muito bonita e apelativa a capa desta obra! E os olhos são sempre os primeiros a comer, não é?

Karen,
Obrigado pela visita e pelas palavras simpáticas!