terça-feira, 23 de setembro de 2008

ALVES REIS - Francisco Teixeira da Mota

UMA HISTÓRIA PORTUGUESA

É assim que Francisco Teixeira da Mota caracteriza este livro, e realmente gosto desta caracterização.

Desde pequeno que me lembro de ouvir falar em Alves Reis por ter sido o maior burlão que Portugal conheceu. Em tempos sei que houve uma série televisiva sobre o assunto mas não tive oportunidade de ver. Sabia que tinha a ver com falsificação de notas, mas não muito mais do que isso.

Quando vi este livro nas livrarias, suscitou-me logo vontade de o adquirir para poder explorar o tema. A verdade é que valeu a pena. O livro tem uma escrita acessível e cativante. A história é simplesmente apaixonante.

Alves Reis nasceu com vontade de vencer na vida, na verdadeira acepção da palavra. Para isso começa por conseguir um diploma, que o faz passar por engenheiro, passado por uma Universidade inglesa inexistente. Este terá sido o primeiro passo para atingir os seus objectivos. Com ele consegue ser destacado para Angola e trabalhar numa empresa de caminhos de ferro. Depressa começa a subir na empresa até que chegar ao topo num curto espaço de tempo. Com dinheiro da empresa, consegue comprar acções da própria empresa e colocá-las em seu nome. Isso leva-o a ser preso, mas a sua "boa estrela" ainda estava por aparecer.

Na cadeia teve tempo para pensar e acreditar que seria preciso fazer mais para atingir os níveis de riqueza que sempre ansiou. Foi então que se apercebeu que se conseguisse reunir determinadas condições, seria possível falsificar notas do Banco de Portugal.

A história é muito mais do que isto, mas a verdade é que conseguiu encomendar notas ao fabricante oficial do Banco de Portugal sem que este se apercebesse que estava a ser enganado.

Esta foi a nota falsificada e com elas, em pouco tempo, construiu um verdadeiro império. Como acabou? Está fácil de adivinhar, mas faço o convite para que leia este livro e o saboreie por si. Penso que vale mesmo a pena. Afinal esta é "uma história portuguesa" e aconteceu mesmo!

1 comentário:

Lia disse...

Uma história portuguesa, uma história de vida que, na minha opinião, poderia ter sido descrita de uma forma mais apelativa para o leitor!