segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

O Adeus às Armas - Ernest Hemingway

Desde que, em 2007, tive oportunidade de conhecer Cuba, tenho adiado a leitura de uma obra de Hemingway. A ligação do povo cubano a este autor pareceu-me tão grande e tão apaixonada que, ainda que não houvesse outros motivos, facilmente se percebia que se trata de um autor muito especial.

O adeus às armas foi uma escolha ao acaso de entre os livros do autor disponíveis numa tarde da Feira do Livro em Lisboa. Por certo, se tivesse disponível teria trazido o "Por quem os sinos dobram", mas foi este que desta vez calhou na rifa.

Em plena I Guerra Mundial, em várias cidades italianas, o americano Frederic Henry, um condutor de ambulâncias na frente de guerra, apaixona-se por uma enfermeira inglesa de seu nome Catherine Barkley.

Como facilmente se pode antever, as vicissitudes da guerra têm todos os ingredientes para dificultar uma história de amor por mais bela que seja. Ainda assim, não há impossíveis quando duas pessoas querem ficar juntas.

Pensa-se que o cerne desta história seja autobiográfico, porém é uma informação da qual não há certeza. Certo é que a experiência de Hemingway na guerra foi determinante para uma descrição fiel das dificuldades vividas por quem lá passou. Valores como determinação, lealdade e amizade são constantes ao longo da obra.

Em suma gostei do que li, muito fácil leitura e ao mesmo tempo cativante. Não acho um enredo fora de série, no entanto é uma história que na minha opinião vale a pena ler.

Por último uma palavra para esta edição da Livros do Brasil. No meu entender, em tempos em que a tecnologia tem avanços enormes diariamente, já nada justifica a quantidade de gralhas ortográficas e de construção de frases existentes nesta edição. "Penso que cada vez que alguém lê este livro Hemingway deve dar voltas e mais voltas no caixão". Também a tradução não é nenhuma maravilha. Enfim, não havia necessidade!

Págs. 347
Ref. ISBN: 972-38-2674-7
Editora: Livros do Brasil

8 comentários:

Lívia disse...

Olá! Esse é um livro que há muito tempo quero ler, lendo sua resenha só me fez querer ler mais ainda =)
Bem legal seu blog! Ah, vc está lendo Eça, adoooro!
bjo!
to te seguindo =)

Marco Caetano disse...

Olá Lívia!

Fico contente que tenha gostado do meu blogue.
Espero que volte mais vezes.

Continuação de boas leituras :)

Filipe de Arede Nunes disse...

É um grande livro, muito bem escrito, sem artifícios de escrita.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Isabel Farinha disse...

"Por quem os sinos dobram" é um livro apixonante sobre a guerra civil espanola. Hemingway veio , à semelhança de muitos intelectuais estrangeiros para combater nesta guerra, contra o avanço de Franco. Também existe outro livro sobre este tema de George Orwell e que se chama "Homenagem à Catalunha", mas o de Hemingway é para mim muito melhor! Aconselho-te a ler ... e para quem foi a Cuba deve ler "O velho e o Mar"( pois é um pouco auto-biográfico e refere-se a esse período do autor em Cuba! Já agora vou ter que ler o Adeus às Armas, fiquei entusiasmada com o teu artigo!

Isabel Farinha disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Marco Caetano disse...

Olá Isabel,

Obrigado pelas dicas. Já anotei na minha wish list. Vamos a ver como corre a feira do livro :)

Pipas disse...

Não sei se já chegaste a ler mas reforço a opinião da Isabel Farinha, eu como grande apreciador de Hemingway também te recomendo o "Por Quem Os Sinos Dobram" e o "Velho e o Mar", para além destes "As Neves do Kilimanjaro", "Na outra margem entre as árvores" ou Paris é uma Festa.
Abraço

Marco Caetano disse...

Olá Pipas,

Agradeço as dicas. Espero encontrar coisas interessantes sobre o autor na próxima Feira do Livro!

Continuação de boas letras...