sábado, 5 de março de 2011

Patagónia Express - Luis Sepúlveda

Uma breve pesquisa na Internet revela o significado e a origem do nome Patagónia:

"A Patagónia, também conhecida pelo locais como Região de Magalhães, é uma região natural no extremo sul do continente americano que abarca a parte sul do Chile e da Argentina, incluindo os chamados Andes patagónios. O nome Patagónia surge indirectamente do navegador português Fernão de Magalhães, o qual, viajando ao serviço da Espanha, pelas costas desse território, na memorável viagem em que pela primeira vez foi circundada a Terra, denominou por “patagones” (homens de patas ou pés grandes) os moradores daquelas paragens. Esta denominação surge devido aos índios de lá parecerem maiores do que realmente eram, dado usarem gorros altos e calçado de couro de guanaco, calçado este que dava uma sensação de tamanho exagerado."

A imagem seguinte ajuda um pouco melhor a localizar no mapa esta região:


Achei importante fazer esta pequena introdução antes de falar propriamente da obra que me leva a escrever esta recensão, uma vez que por um lado é bom lembrar que um português contribuiu de forma definitiva  para a história desta região, mas também porque penso que conseguindo enquadrar esta região no mapa, mais facilmente conseguimos perceber a mensagem que Luis Sepúlveda nos pretende transmitir.

Patagónia Express é um livro de crónicas de viagem. Estas viagens, como facilmente se pode adivinhar, passam-se essencialmente na região da Patagónia. O clima associado a um território de extremos faz com que esta enorme região seja pobre em número de habitantes. Não é no entanto uma terra pobre em histórias! É isso que aprendemos com este livro.

Luis Sepúlveda foi-me dado a conhecer com esta obra, ficando desde já bem patente a sua capacidade de em pequenos textos exprimir sensações e sentimentos. A sua veia interventiva no seio político é bem notória, porém não em demasia. 

Surpreendeu-me bastante que, apesar de ser uma obra composta por crónicas sem sequência aparente, a vontade de continuar a ler nunca diminuiu. Estou a lembrar-me por exemplo da história de um avião que em emergência aterra numa praia e do que foi feito para o conseguir tirar de lá.

Sem dúvida, dentro do género, fiquei fã deste livro e como tal, por certo, em breve voltarei a este autor.

Págs. 158
Ref. ISBN: 978-9729-0-04090-9
Editora: Porto Editora

6 comentários:

Marco Caetano disse...

Ainda sobre este livro:

No blogue ...viajar pela leitura...
http://viajarpelaleitura.blogspot.com/2011/01/patagonia-express-luis-sepulveda.html

No blogue: O tempo entre os meus livros
http://otempoentreosmeuslivros.blogspot.com/2011/02/relato-de-uma-viagem.html

Manuel Cardoso disse...

Li este livrinho há pouco tem. Uma maravilha, como tudo o que Sepúlveda escreve.

Marco Caetano disse...

Olá Manuel!

Também gostei deste livro!
Espero poder repetir Luis Sepúlveda em breve. Talvez: "O velho que lia romances de amor"

Continuação de boas letras...

Manuel Cardoso disse...

O Velho que Lia Romances de Amor! Que livro! Nunca vou esquecer aquele velho dentista que andava pela amazónia com a sua cadeira de dentista às costas, arrancando dentes com cachaça a servir de anestesia.
É um livro excepcional, acredita!

Filipe de Arede Nunes disse...

Foi dos primeiros livros que li de Sepúlveda! Talvez até o primeiro! Adorei. Sepúlveda é um dos grandes nomes da literatura mundial. Precioso.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Marco Caetano disse...

É verdade Filipe, este é um livro bastante agradável.

Apercebi-me que teria algo de especial logo que publiquei a notícia da sua reedição no espaço Facebook da Conspiração.

Enfim, por certo uma experiência a repetir brevemente.

Cumprimentos,
Marco Caetano